Partilhar em

A população idosa está cada vez mais isolada! Estes relatos são cada vez mais frequentes e preocupam tanto familiares como os profissionais que trabalham com esta franja populacional. A pandemia COVID-19 veio pôr a nu as maiores fragilidades das pessoas idosas e acentuar ainda mais as desigualdades.

Com a continuidade dos equipamentos sociais fechados, como os Centros de Dia e Centros de Convívio, ainda sem data de abertura à vista, a preocupação é crescente. Muitos idosos vêm-se a braços com o isolamento, a depressão e o acentuar de problemas de saúde, agravados pelo confinamento. O cancelamento de consultas e exames, o medo de se deslocar a unidades de saúde e a falta de rotina e de estímulos cognitivos, tem agravado o estado de saúde dos idosos. As famílias vivem uma realidade cada dia mais difícil, sem apoios sociais e financeiros para poderem ficar em casa a cuidar dos seus familiares. Por tal, estes ficam cada vez mais sós e não poucas vezes em situações de risco.

O Departamento Social da CAISA tem estado atento a estas situações, tentando minimizar os seus efeitos nefastos. Medidas como acompanhamento a consultas e exames, articulação com as unidades de saúde, entrega de documentação, auxílio na realização de compras, idas à farmácia, fazem parte do nosso dia-a-dia. As visitas domiciliárias têm sido reforçadas, bem como o contacto telefónico com os idosos e os seus familiares. Nada tem sido deixado ao acaso na zona de influência da CAISA. No entanto, sabemos que ainda não é o suficiente.

Por isso, lançamos hoje, dia 20 de julho, uma linha de apoio social à pessoa idosa e seus familiares, do concelho de Guimarães, disponível quer para apoio social quer para esclarecimento de dúvidas aos idosos e aos seus cuidadores. Esta linha, é gerida pela equipa do CECA – Centro de Estimulação Cognitiva e Autonomia  e pelo OESTE CUIDADOR – Gabinete de Apoio ao Cuidador Informal da zona oeste de Guimarães.

Estamos disponíveis para o ajudar, contacte-nos: 925 531 897.