Partilhar em

O envelhecimento da população tem gerado a nível global um aumento de doenças degenerativas crónicas. Em 2010 estimou-se que 35,6 milhões de pessoas em todo o mundo viviam com demência e que este número aumente para 115,4 milhões em 2050.

Com o avanço da idade, muitos idosos apercebem-se de diminuição ao nível sensorial mas também ao nível das funções cognitivas. Os relatos de dificuldade de memorização, de concentração, de expressão verbal entre outras são bastante frequentes, nos idosos.

É na prevenção e até monitorização destas situações que surge a importância da estimulação cognitiva. A estimulação cognitiva tem como objetivo promover a funcionalidade e autonomia da pessoa, pretendendo preservar ou melhorar o desempenho ou funções de extrema importância como a capacidade de resolução de problemas, o raciocínio, entre outras.

A CAISA tem disponível um Centro de Estimulação Cognitiva e Autonomia (CECA), que visa colmatar esta necessidade, sentida na população sénior e pelos seus familiares/cuidadores.

Para mais informações sobre o CECA por favor consulte: Saúde