Partilhar em

A população idosa está triste! Esta frase vem sido repetida nas redes sociais, nos media e em conversas de café. Se é verdade que os idosos são a franja populacional de maior risco no que respeita à COVID-19, é também verdade que têm sido quem mais sofre com esta. A pandemia colocou a nu diversas fragilidades. E, sem dúvida que a população idosa ficou mais frágil. Se antes muitos seniores precisavam de um acompanhamento próximo, agora ainda mais. Após aparecimento da Covid-19 este acompanhamento verificou-se ainda mais necessário e indispensável.

O acesso aos hospitais e centros de saúde vem acompanhado de mais regras e exigências pelo que é difícil muitas vezes o idoso ir sozinho a consultas, realizar exames, entre outras situações. Se a esta questão, acrescemos o afastamento da família e da população em geral, ficamos perante uma situação bastante delicada e que requer uma sensibilidade ainda maior.

Foi neste sentido que a CAISA assumiu o compromisso de reforçar o acompanhamento aos idosos da sua área de atuação, União de Freguesias de Airão Santa Maria, Airão São João e Vermil e União de Freguesias de Leitões, Oleiros e Figueiredo, sempre que se considere essencial.

Pretende-se aproximar a população idosa dos serviços essenciais ao sem bem-estar, não só físico mas também emocional e psicológico. Estamos aqui para si!

Em caso de dúvidas contate: Social